Wilson A. Ribeiro Jr.

Estação imóvel, de Pablo Neruda

Pablo Neruda (1904-1973), poeta, diplomata e político chileno, recebeu o prêmio Nobel de Literatura de 1971. O poema Estación inmóvil foi publicado em 1959, no livro Navegaciones y Regresos.

Tradução

Quero não saber, nem sonhar. Quem pode me ensinar a não ser, A viver sem continuar vivendo?
Como continua a água? Qual é o céu das pedras?
Imóvel, até que parem as migrações no seu auge e voem em seguida com suas flechas até o arquipélago frio.
Imóvel, com secreta vida, como uma cidade subterrânea, para que resvalem os dias como gotas inacessíveis: nada se gasta, nem se morre até nossa ressurreição, até regressar com os passos da primavera enterrada, do que jazia, perdido, inacessivelmente imóvel e que agora sobe do não ser para ser um ramo florido.

Texto original +/-

Referência

Pablo Neruda, Selected Poems, trad. Ben Belitt, New York, Grove Press, 1961, p. 304.

« Voltar

↑ ↑